sábado, 2 de setembro de 2017

Esquema de venda de carros roubados é desfeito pela Polícia Civil

Foto SSPDS

Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) interrompeu a trajetória criminosa de um homem com dois mandados de prisão em aberto e responsável pela comercialização de diversos carros roubados. O suspeito, que era investigado há cerca de dois anos por equipes da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), foi capturado nessa terça-feira (31), em sua casa, no bairro Aracapé – Área Integrada de Segurança 9 (AIS 9) de Fortaleza –, pelos agentes de segurança atuantes na especializada.

O criminoso trata-se de Diego da Silva (28), que responde a procedimentos policiais por roubo e receptação e possuía dois mandados de prisão preventiva em aberto por crimes de estelionato, receptação, roubo e falsificação de documento público – representados pela DRFVC. O infrator é apontado nos levantamentos policiais como participante de um esquema ilícito de roubo de automóveis, receptação e adulteração dos sinais identificadores (placas e chassis) dos mesmos e furto de documentos públicos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE).


De acordo com o delegado Fernando Cavalcante, titular da DRFVC, a cada venda que Diego realizava, três vítimas eram feitas: o proprietário do carro roubado, o dono da placa que seria clonada e a pessoa que compraria o veículo roubado e clonado sem conhecimento. “Diversas pessoas alegaram, em depoimentos prestados na delegacia, que negociaram seus veículos com Diego, os dando como entrada e recebendo, sem saber, carros roubados e clonados”, explica o delegado, ao detalhar como o suspeito comercializava os automóveis subtraídos como sendo legalizados. “Ele utilizava documentos furtados do Detran”, completa. A Polícia identificou várias vítimas do criminoso e suspeita que ele tenha negociado, ilegalmente, dezenas de transportes.

As investigações sobre as práticas ilícitas do preso foram iniciadas em 2015, quando diversos carros com seus sinais identificadores adulterados foram localizados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) a partir de uma abordagem em Icó – AIS 21. À época, Diego foi localizado e se apresentou aos policiais como corretor de veículos, alegando ser o intermediário entre o vendedor e o comprador dos carros, recebendo comissões pelos negócios e sem saber da teia criminosa que exista por trás. Mas as investigações desenvolvidas pela Polícia Civil mostram a atuação direta dele nos delitos.

As apurações sobre o caso continuam no sentido de descobrir outros envolvidos no esquema e visam à localização de mais vítimas. Caso alguém reconheça Diego em uma negociação do tipo ou saiba de outras práticas criminosas suas, pode se direcionar à sede da DRFVC para os devidos procedimentos.

Fonte:SSPDS

Nenhum comentário:

Postar um comentário